24 maio 2013

Corvos

O que achou? 


Os corvos ficam parados
Empoleirados em ramos frágeis 
Seus olhos estão fixos em mim
Nada mais, ninguém mais

Eles observam como irei caçá-los e encontrar seus lares
Destruir o ninho e matar seus filhotes vulneráveis
Enquanto eu me sento no banco do parque
Seus gritos de acusações atravessam meus ouvidos
Minha reflexão é absorvida em seus olhos

Ele não olha para trás
Torna-se consumido
Será que isto vai ter um final feliz?
Por que eles apenas não voam para longe?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visualizações