14 maio 2013

A aluna estranha

O que achou? 

Esta lenda foi contada, em 1993, pela professora Lisa Cristina e ela autorizou–me a contá–la em público: Nos anos setenta, Lisa era uma mestra numa universidade. No começo de um novo ano letivo esta professora entrou na sala de aula e avistou uma aluna estranha, chamada Andréa: cara pálida, olhos esbugalhados e roupas, totalmente, pretas.

 A menina não falava quando alguém perguntava algo para ela e todos os dias, junto com sua pasta escolar, ela carregava um álbum que não mostrava para ninguém. Esta garota tinha o estranho hábito de carregar uma espécie de “walkman” feito de caixa de fósforos e durante as aulas ela colocava fones de ouvido feitos de palitos que eram ligados a esta caixinha. Até o mês de maio, Andréa compareceu as aulas, porém no mês de junho ela desapareceu. Numa tarde fria, daquele mesmo mês, Liso entrou numa sala de aula vazia e avistou um velho álbum de fotografias que pela a aparência parecia ser o objeto de Andréa. Então a professora abriu o livro e viu fotos de dois bebês gêmeos e ao virar as páginas a mestra viu que tratava–se de duas meninas gêmeas.

 Assim folhando página por página ela notou que os retratos eram de Andréa e sua irmã. Porém nas últimas folhas a professora viu fotos do enterro de uma das gêmeas e depois observou foto do túmulo da irmã morta. Intrigada, Lisa foi até a secretaria e descobriu o endereço de Andréa. Deste jeito ela foi até a casa da garota, apertou a campainha e uma senhora simples atendeu: - Bom – dia! - Sou empregada da família... - Em que posso ajudá–la? Lisa explicou: - Eu era professora de Andréa e vim devolver este objeto que ela esqueceu. A moça disse: - Você não soube?! - Andréa faleceu dia 30 de maio, na frente do túmulo da sua irmã. - Ninguém sabe o que, realmente, aconteceu. 

Pois não houve vestígios de assassinato e nem de suicídio. - As duas sempre foram diferentes: Andréa era meiga, doce, obediente e vestia roupas coloridas. Já a sua irmã, Mara, era rebelde, desobediente e só vestia roupas pretas. - Só sei que depois que Mara caiu da janela, do antigo colégio onde estudavam, Andréa ficou muito estranha. Ela passou a vestir roupas pretas e a ter comportamento não convencional depois da morte da irmã. Além disto à garota fez um rádio com uma caixa de fósforos donde dizia receber mensagens do espírito de Mara. - A psicóloga disse que ela incorporou a personalidade de Mara, que era forte e rebelde e deste jeito o gênio da irmã morta acabou anulando a alma da viva. - No lugar de onde eu vim, há uma lenda que diz que irmãos gêmeos não se separam nem com a morte. Pois um espírito sempre dá um jeito de se comunicar com o outro. - Dizem que até hoje, no colégio de freiras onde as duas estudavam, que o fantasma de Mara aparece para assustar os alunos. Após esta conversa Lisa mandou rezar uma missa em memória das duas irmãs.

Crédito='Terrormatica'

4 comentários:

  1. mas eu pensei que tinha sido vc que postou sonhador

    ResponderExcluir
  2. Anônimo11.7.13

    manifestavit eis ego uenio ad canalem, qui corpore ego sum​​, moriemini in vitam æternam, quam tu putas guys

    ResponderExcluir
  3. muito legal gostaria de mais lendas assim

    ResponderExcluir

Visualizações